quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Balanço Patrimonial "Setembro de 2015"

        Como descrito em post anteriores liquidei minha carteira selic aportando nos FII, a estratégia visa conseguir fluxo de caixa para aproveitar oportunidade que possam vir a aparecer nestes tempos de crise.

       Além deste imprevisto também foi descrito que meus aportes vão sofrer uma redução substancial, auferindo uma média 1.000 até 1.500 durante alguns meses, salve raras exceções e alguns meses excepcionais aonde  aportarei algo entre 3.000 até 3.500 reais.

      Resumo das operações na semana: com 21,000.00 mil reais aportados na conta da corretora fique a observar as oportunidades pontuais no home broker.

Resumo das compras: HGBS11: 3 cotas valor de mercado 1489,99
Totalizando ( 4.469,97)
Resumo das compras: BBPO11: 25  cotas valor de mercado 95,30
Totalizando (2.384,75)
Resumo das compras: HGRE11: 4 cotas valor de mercado 1234,99
 Totalizando (4.939,36)
Resumo das compras: BBPO11:  71 cotas valor de mercado 96,00
Totalizando (6.816,00)
Resumo das compras: KNRI11:   22 cotas valor de mercado 109,90
Totalizando (2.417,80)
                                              Total de compras: (21.027,88)
 
      Vamos ao que interessa: Resumo da carteira mensal do mestre do dividendos.
                            
                                                  Resumo da posição FII.
                                                Resumo da posição TD.
                                              Antigas LFTs VS IPCA        
                                                Rendimento real TD.
                                              FII Valorização das cotas.
                                 Yield FII da carteira a preço de mercado.
                          Rentabilidade pelo sistema de cotas FII e tesouro direto.

                                          Carteira consolidada.
                              Rentabilidade geral pelo sistema de cotas.

    Como podem ver estou praticamente no 0X0 ainda podendo perde alguma rentabilidade nos próximos meses, enquanto NTBS e FII vão oscilando para baixo.

    Felizmente como podem observar consegui comprar metros quadrados descontados nos respectivos  preços. Preços módicos para o pequeno investidor.

   Aumentei minha exposição ao setor bancário com um yield interessante em meio a crise: Tendo em mente que lajes corporativas, Logística e varejo vão apanhar muito até que nossa conjuntura macroeconômica se recupere .

   Por hora vou aportando pontualmente em alguns FII descontados no meio da crise , adquirindo mais metros quadrados.
    
                                  Valorização FII&Proventos recebidos em 2015.
                                                     " no negativo"

                                  "Boa sorte pequenos investidores do blogosfera."
No Bear market  observamos investidores com estômago para aguentar  trabalhar anos no vermelho, tudo isso  sem perde o ritmo, pelo que pude perceber tem muitos investidores com psicológico abalado depois das recentes quedas na bolsa.

   As vezes me pergunto se toda esta alta exposição na renda variável vai produzir alguns frutos no longo prazo, como não obtemos tal resposta do mercado "existe apenas uma saída", diversificação do portfólio em renda fixa, TD, FII e ações.

    A minha estratégia atual é simples compras periódicas de FII descontados, futuramente vou alocar alguns recursos em um renda fixa com liquidez diária para restabelecer uma parte líquida de minha carteira atual, já que  que agora ficou totalmente imobilizada em FII e NTN-BS.
  Para que isto aconteça de fato basta 2 variáveis ao meu favor:FII voltarem a subir sem fundamentos e meus aportes voltarem aos patamares anteriores.

    Por hora apenas sobrevivendo a maior crise em 20 anos deste país, esperando o cenário político calamitoso se adequar a realidade do mercado.



sábado, 26 de setembro de 2015

" Diminuição nos aportes Mensais"

      Aportes recentes vinham caminhando em patamares interessantes, porem desconfiava que com a crise instalado no pais não seria algo fácil de se manter nos patamares anteriores, pois bem minha esposa perdeu metade das aulas que lecionava, além disso  meus custos fixo vem subindo absurdamente como relatado em post anterior.

   Para lidar com esta situação inusitada repensei minha estratégia, desenvolvi uma nova estratégia  para sobreviver na crise, mantendo fluxo de caixa essencial para aproveitar boas oportunidades que possam surgir nestes momentos de caos mercadológico.

Sobretudo mantendo custos fixos sob controle, além de manter aportes constante  com reaplicação constante de proventos recorrentes.

Realoquei meu portfólio liquidando minha LFT no valor de 21,000.00 mil reais  repassando para os FII.

   Estou com uma quantia de  21.000,00 aportada na conta da corretora, apenas esperando por oportunidades  pontuais  em alguns FII que estão no radar ou apresentem queda acentuada na cotações, bons yields, bons contratos.

  "Operando na contra mão da manada" aproveitando a queda para lavar a égua!

   Racional por de trás da estratégia: Com yields atuais aliados a  preços cômodos recentemente nos FII em meio a maior crise financeira dos últimos 20 anos, terei  fluxo de caixa  entre 500 a 550 reais ao mês, somado esta quantia ao  aporte novo na faixa "1000" reais " alguns aportes excepcionais na faixa  "3 mil" vou obter um fluxo de caixa suficiente  para aproveitar oportunidade seja nos títulos , seja nos FII cobrindo uma boa parte do percentual perdido nos aportes.

Ao menos vou sobreviver tendo um fluxo médio de 2 mil reais mensais para aplicações, nada tão excepcional como minha média anterior de 3.000,00.
   Quando nosso amigo  IFIX voltar a subir novamente , principalmente sem fundamentos voltarei a alocar capital nas LFTS para aproveitar oportunidades pontuais nos períodos de baixa do índice.

   Obtive uma rentabilidade de mais ou menos 5,36% líquidos na renda fixa de acordo com o sistema de cotas "ADP" , ontem fiz minha primeira  entradas no HGBS11, FII que veio para estreia na carteira dos mestre dos dividendos.

Minha carteira ao todo  possui 16 FII, restam apenas 3 para completar o ciclo de aportes nos respectivos 16 FII da carteira.

Preço de comprar do HGBS11: 1489,99 3 cotas a valor de mercado.
Alvo desejado HGBS11: 1470,00
Totalizando: 4.469,97 de custos.

Comprei a 1489,99  OBS: Com os rendimentos entrando no  mês subtraindo do custo oportunidade , conseguirei manter este FII no Alvo de 1470,00.

                                         Carteira Atual do mestre dos dividendos.

        

                              

domingo, 20 de setembro de 2015

Receitas VS Despesas " Crônicas de um País assistencialista Parte 1

                    Receita VS despesas analisadas de um ponto de vista contábil.

  A teoria contábil referente a este tema sempre foi de simples entendimento. A base teórica sempre foi  acessível para qualquer um disposto a administrar empresas, pequenos negócios, orçamento domestico ou atuar no mercado de capitais.

  A base teórica é muito simples: Em um lado observamos receitas posicionando tudo aquilo que conseguimos auferir por meio do trabalho, negociações, vendas, salários ou mercado de capitais, já  no outro lado fica exposto todo nossos custos fixos e despesas não recorrentes.

Exemplo prático numero 1:
                                                                   Receitas

João trabalha como empregado em uma indústria automobilística:
Seu salário líquido livre de impostos e taxas  gira em torno de ("R$ 5.000,00") mil reais, respectivamente João faz algumas extras recebendo em média ("2.000,00") mil reais.
Nosso empregado do mês João também possui aplicações em corretoras de valores auferindo por mês uma quantia de aproximadamente ("3.000,00") mil reais em dividendos.

Resumo das receitas de João referente ao mês base.
OBS: Enumere cada item da receita por ordem de valores.

Item 1: Salário
Item 2: Extras
Item 3: Dividendos

Item 1: R$: 5.000,00
Item 2: R$: 2.000,00
Item 3: R$: 3.000,00
-------------------------
Totalizando: R$ 10.000,00 Reais

                                                                       Despesas

Enumerando despesas: João mora de aluguel em um prédio residencial, seu aluguel mensal gira em torno de ("2.000,00 Reais"), condomínio em torno  ("600,00") reais, suas compras mensais no supermercado em torno ("1.200,00") reais,Internet ("150,00 reais"), Conta de luz ("150,00") reais, Convenio médico  ("500,00") reais,Lazer ("1.000,00") reais, total de custo para manter seu automóvel incluindo gasolina e seguro ("500,00") reais , gastos diversos por volta de ("100,00") reais.

Item 1:Aluguel
Item 2:Supermercado
Item 3:Lazer
Item 4:Condomínio
Item 5:Convenio
Item 6:Automóvel
Item 7:Internet
Item 8:Luz
Item 9:Gastos diversos

Item 1: R$ 2.000,00
Item 2: R$ 1.200,00
Item 3: R$ 1.000,00
Item 4: R$ 600,00
Item 5: R$ 500,00
Item 6: R$ 500,00
Item 7: R$ 150,00
Item 8: R$ 150,00
Item 9: R$ 100,00
-------------------------
Totalizando :R$ 6.200,00 Reais

Calculando a taxa de poupança mensal:
Receitas ( - ) Despesas = 10.000,00 - 6200,00 =  3800,00 sendo sua respectiva taxa de poupança mensal.

Como calcular seu percentual de poupança mensal?
Taxa de poupança ( / ) Receitas = 3800,00/10.000,00 = 0,38 x 100 = 38%

João consegue auferir um percentual de poupança sobre suas receitas de 38%!

     Como calcular impacto real no aumento de custo de vida baseado na inflação anual de um modo 100% eficiente.

Enumere  suas receitas e despesas no começo do ano base " Janeiro até Dezembro" pegue suas despesas de dezembro subtraindo os respectivos valores de janeiro.

Exemplo 1: Despesas em janeiro : ("6.200,00")  enumerado por todos seus custos fixos.
Exemplo 2 : Despesas em Dezembro : ("7.200,00") enumerado por todos seus custos fixos.

Mas afinal o que aconteceu para que nossa despesa fixa tenha apresentado um aumento de mil reais?
Respostas :Repasse de preços administrados , índices inflacionários entre outros pormenores.

Exemplos despesas em janeiro:

Item 1:Aluguel
Item 2:Supermercado
Item 3:Lazer
Item 4:Condomínio
Item 5:Convenio
Item 6:Automóvel
Item 7:Internet
Item 8:Luz
Item 9:Gastos diversos

Item 1: R$ 2.000,00
Item 2: R$ 1.200,00
Item 3: R$ 1.000,00
Item 4: R$ 600,00
Item 5: R$ 500,00
Item 6: R$ 500,00
Item 7: R$ 150,00
Item 8: R$ 150,00
Item 9: R$ 100,00
-------------------------
Totalizando :R$ 6.200,00 Reais

Despesas em dezembro

Item 1:Aluguel
Item 2:Supermercado
Item 3:Lazer
Item 4:Condomínio
Item 5:Convenio
Item 6:Automóvel
Item 7:Internet
Item 8:Luz
Item 9:Gastos diversos

Item 1: R$ 2.200,00
Item 2: R$ 1.400,00
Item 3: R$ 1.100,00
Item 4: R$ 700,00
Item 5: R$ 600,00
Item 6: R$ 600,00
Item 7: R$ 200,00
Item 8: R$ 200,00
Item 9: R$ 200,00
-------------------------
Totalizando :R$ 7.200,00 Reais

Em contra partida nossa receitas apresentaram queda acentuada.

Receitas em janeiro.

Item 1: Salário
Item 2: Extras
Item 3: Dividendos

Item 1: R$: 5.000,00
Item 2: R$: 2.000,00
Item 3: R$: 3.000,00
-------------------------
Totalizando: R$ 10.000,00 Reais


Receitas em dezembro.

Item 1: Salário
Item 2: Extras
Item 3: Dividendos

Item 1: R$: 5.000,00
Item 2: R$: 1.000,00
Item 3: R$: 1.500,00
-------------------------
Totalizando: R$ 7.500,00 Reais


Calculado taxa de poupança em dezembro.

Receitas ( - ) Despesas = 7.500,00 - 7.200,00 =  300 ( / ) 7.500,00 =  0,04 x 100 = 4%

Observe a queda acentuada na taxa de poupança mensal se compararmos com janeiro.

Calculado aumento no percentual do  custo de vida se baseando no aumento de custos fixos de períodos anteriores.

Despesas em dezembro ( - ) Despesas em Janeiro =  7.200,00 - 6.200,00 = 1.000,00 ( / ) 6.200,00 = 0,1612 x 100 = 16,12%

Portanto o ideal sempre é manter uma planilha Mês a Mês contendo receitas e despesas mensais,
sempre fazendo uma analise apurada até o final do respectivo ano.

 Se no final do respectivo ano suas despesas fixas aumentarem em 20% você precisaria aumentar suas receitas em 20% para manter o mesmo padrão de vida anterior.

"Mestre" estamos em crise aumentar receita neste cenário é muito complicado.. 
Exato meu caro leitor, apelidei este fenômeno de "Efeito rebote de crises financeiras"

O que acontece nas grandes crises financeiras  mestre?

Nas crises financeiras nossas despesas são forçadas pelos reajustes de preços administrados e consequentemente pela inflação crescente.

Por outro lado isto reflete no  aumento do custo de vida, porém reflete também em diminuição das receitas, lembrando que nos momento atual possuímos uma moeda enfraquecida pela inflação, consequentemente nosso dinheiro perdeu um grande  percentual do poder de comprar existente anteriormente.

Neste respectivo cenário aonde dinheiro perde o valor rapidamente, somos forçados a escolher entre dois caminhos.

  Aumentar nossas receitas ou diminuir nosso custo de vida, se mantendo dentro de um equilíbrio financeiro adequado.

Podemos optar em aumentar receitas, diminuir despesas, ou mesmo pela combinação de aumentar receitas em contra partida diminuindo despesas.

Os primeiros itens a serem cortados das listas são despesas não recorrentes: Viagens , Lazer, Vinhos caros etc .

Na outra ponta para aumentar nossa receita precisamos trabalhar mais !

Agora vou explicar esta teoria econômica de um ponto de vista panorâmico : Em toda crise econômica existe cortes recursivos no consumo da população e  consequentemente do dinheiro em circulação, pois bem dependendo do  ramo em que você  atua quase sempre  suas receitas vão ser seriamente afetadas pela demanda local, ou seja você tem em uma ponta aumento nas despesas e na outra redução das receitas.

Lascou mestre o que faço?

Não há muito o que fazer: Primeiramente pense em alguma forma de aumentar sua receitas e consequentemente diminuir seu padrão de vida,conforme a crise for se agravando todo efeito rebote se intensifica, neste cenário devemos sobreviver e esperar pela recuperação da  macroeconomia , lembrando que um ciclo econômico  pode demorar anos ou décadas.

  Tais questões recorrentes sobre política econômica abordarei em posts complementares, será de grande  importância que  tenha pleno conhecimento destas regras contábeis simples.



Agora que você sabe calcular seu aumento real de custos fixos  convertendo em percentual: Crie o habito de fazer balanços em suas finanças, assim como empresas e multinacionais fazem em suas linhas de produção.

O primeiro passa para finanças equilibradas, conhecer a ti mesmo atrelando necessidades pessoais e receitas financeiras satisfatórias.

Boas sorte em sua jornada!



sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Resumo dos Proventos "Agosto"

Resumo do proventos definitivo "Agosto"
                               Aumento Exponencial de dividendos Mês a Mês.

Resumo da meta Atualizado: Caro leitores sinto pesar no coração pela  situação macroeconômica desesperadora do Brasil.

Por consequência tenho tido um estilo de vida  muito contido para enfim conseguir manter apenas meu poder compra real, tudo isto aliado aos aportes modestos, como podem ver meus aportes não são nada vultosos se comparados a outros players do blogosfera.

   Após um período inicial de aporte medianos,  nossa realidade macroeconômica bateu em minha  porta, como citados em posts anteriores desenvolvi um sistema de metas baseado em substituir cada passivo de minha renda por um respectivo ativo.

"Nestes 5 meses de Carteira: Meus proventos vem apenas mantendo meu poder de compra!"

 Meus custos fixos vem subindo absurdamente, para piorar todas questão meus FII vão apanhar muito até que se recuperarem, felizmente já havia calculado esta variável em cálculos  anteriores,
dada conjuntura atual meus FII tem apresentado aumento substancial na taxa de vacância.

O lado bom é que  tenho comprado mais cotas por valores  bem módicos para o pequeno investidor, enfim como citado anteriormente meus custos fixos vem apresentando percentuais elevados.

Se levarmos em conta que não possuo carro, não tenho comprado novas roupas há um bom tempo, não saio com frequência, não como fora de casa além de fazer compras em grandes quantidade para combater todo efeito elevado de nossa inflação.

Resumo da obra tenho vivido sem luxo algum com um estilo de vida baseado em  frugalidade extrema, mesmo assim meus custos fixos subiram algo em  torno de 20% desde o começo do ano, imagine se eu foste um pobre louco gastador.

A conta de luz dobrou!
O condomínio aumentou em 20%.
Compras no mercado apresentando alta de 20%.

Resumo da obra havia calculado anteriormente que meu  primeiro passivo a ser batido: Seria o condomínio avaliado em 280,00 reais, também calculei o índice médio de inflação anual,precisaria auferir uma taxa de 320,00 reais para cobrir  possíveis rombos do orçamento, porem como sabemos ao chegarmos no mês 8, ocorreu um aumento no condomínio "312,00", isto mesmo meus caros amigos estou vivendo apenas para pagar contas.

Com esta taxa abusiva: Resolvi fazer uma nova projeção para o condomínio,  vou inserir uma taxa de 400,00 para finalmente conseguir abater este passivo de minha lista.

Além de estar vivendo no limites do possível há uma nova variável que pode fazer meu aportes ficarem mais enxutos nos próximos meses!

A crise esta afetando toda economia, minha esposa talvez perca algumas aulas  complementando um percentual de nossa renda destinados aos aportes, por hora nossos aportes vem mantendo uma certa constância , porem não há mais garantias algumas...
Devido a tais questões econômicas graves , fiz um corte na viagem que faria para casa de minha sogra no final do ano !

Isto mesmo meu caros amigos vou passar o natal em casa para economizar dinheiro.
Nestas horas chega bater um desanimo ....

O pequeno investidor precisa combater todo quadro inflacionário: Para manter algum poder nos aportes iniciais , porem nem isso temos conseguido manter dadas circunstâncias atuais .

Estou muito preocupado!

Meu projeto de imigração parece um sonho distante, principalmente com o  dólar cotado perto dos 4 reais podendo desvalorizar ainda mais, para piorar toda situação nosso governo inventou de reativar um dos impostos mais filha da putas que incidem sobre toda cadeia produtiva " CPMF"

Resumo da obra: Neste pais cretino toda classe média esta sendo reduzida a nada!
Devido as políticas populista de esquerda: Estamos chegando ao fundo do posso!
Brevemente iremos precisar de um caminhão de dinheiro apenas para sobreviver, assim como aconteceu com nossa vizinha argentina em décadas anteriores.

A violência vem aumentando em proporções inimagináveis,  pessoas vem perdendo seus empregos rapidamente.
Para se salvar nosso governo pretende usar a mesma formula que usou em décadas anteriores aumentar  impostos, porem este mesmo governo não entende que chegamos ao topo da curva de laffer e qualquer aumento de imposto sem expansão de bases produtivas  apresentara futuros déficits na arrecadação governamental.
Uma política expansionista como feita em períodos anteriores acarretara em aumento exponencial da dívida pública e consequentemente terminara em  moratória da dívida pública.
A única saída para nosso pais é a redução do estado!
Mas vá falar isso para esta cambada de vagabundo da CUT, MST, toda esta merda de movimento sociais sangue sugas  parasitas, políticos de alto escalão,  grandes empresários  recebendo subsidio governamental.
Neste aspecto podemos constatar que  existe diversos grupos interessados em manter nosso estado grande" no mais diversos e variados âmbitos dentre ricos e pobres todos tem uma parcela de culpa para que nosso estado tenha chegado ao tamanho atual.
Além dos vagabundo marxistas das universidades, vadios do MST etc, amigos do reis entre outros beneficiários.
Sinto um  sentimento de nojo e revolta, além de uma vontade insana de cair fora do pais, infelizmente minha realidade financeira ainda é distante de me ver livre do  culto doentio ao estado.
Boa sorte nos investimentos bravos guerreiros!
Avante...


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

"Curva de Laffer" Explicada de forma simples.

O que pode acontecer caso o governo tente aumentar sua receita por via de mais imposto, efeito contrario do desejado.
Nossa carga tributaria já é   muito alta, acredito que estamos bem perto do topo da curva de laffer.
Quanto mais nosso governo insistir em aumentar nossos imposto menos ele ira arrecadar!
Fica a dica para  esquerdista defensores de aumento de carga tributaria mantendo o estado brasileiro inchado e desproporcional.



quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Resumo das compras Mensais.

Aporte do Mês: R$ 4500,00
Um ótimo aporte : Alavancado pelo sistema  de gerenciamento " alavancagem familiar".
Quem acompanha meu blog sabe que alavanco meu capital usando um sistema muito similar ao de banqueiros.
Recebo de minha família " um valor x" aporto  em FII  todos os meses :o plano inicial sempre foi conseguir alavancar meu capital se aproveitando do juros compostos com reinvestimento da renda nos FII.
O plano segue 3 estágios.
Estágios 1 :Alavancagem do aporte.
Estágio 2:  Expansão da carteira por reinvestimentos da renda.
Estágio 3: Maturidade na carteira de FII.

O estágio 1 vai durar por volta de 2 anos levando em conta minha capacidade de aporte atual.
Já que meus reinvestimentos de renda excedente ainda se encontram em fase inicial devido ao pouco tempo na formação de  minha carteira e aos baixos valores da mesma.

Vamos ao que interessa:
Compras : RNGO11 30 cotas a valor de mercado "76,39"
Compras: TBOF11 48 cotas a valor de mercado "51,49"

RGNO11: Apresentou  queda acentua nas cotações devido ao cenário macroeconômico atual, como ainda estou em fase de alocação vou encher minha burra de RNGO11 até o limite 15 mil reais, independente de aumento de vacância futuro ou queda acentua nas cotações.




TBOF11: Aposta futura na carteira, atualmente este fundo apresenta uma taxa de vacância de 42% uma verdadeira bomba relógio, mas como penso no longo prazo não estou nenhum pouco preocupado, tudo isto  devido a diversificação estratégica, minha carteira estava precisando de emoções  "TBOF"  será minha aposta futura.
Não recomendo seguir minha estratégia: O fundo vem queimando caixa , tem alta taxa de vacância,  prédio com alto custo para manutenção e taxas salgadas na administração.
Porém toda qualidade construtiva do prédio é excepcional!
A governança é da "BTG" Meia sola , porem darei um ponto para BTG recuperar sua governança futuramente.

OBS: Faço analise contábil de todos fundos em minha carteira, devido a isto  sei exatamente o que estou comprando, além de ter trabalhodo em 6 fundos pessoalmente, aqui fica meu conselho para se avaliar exatamente o que esta comprando de acordo com sua estratégia , curto , médio e longo prazo.

Opero no longo prazo! oscilações de curto prazo de 1 até 5 anos não será levada em conta em minha estratégia.
Prazo para segurar esta bomba TBOF em minha carteira: 10 anos
 Se depois de 10 este prédio não der resultado, desmontarei posição.
Até lá sigo comprando e foda-se o ambiente macro!
Boa diversificação na carteira nos da margem para fazer algumas apostas, de resto sigo firme com a estratégia de alocação pontual.
Lembrando que ao todo são 16 ativos, ainda falta 4!





                                                      Resumo da carteira

                                                             Valorização das cotas.
                                                  Valorização&Rendimentos
                                               Carteira consolidada.